sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Aprenda a estudar para concursos da Carlos Chagas


Criada em 1964, a Fundação Carlos Chagas (FCC) tem por finalidade a aplicação de provas nos mais variados concursos do Brasil. É instituição de direito privado, sem fins lucrativos e reconhecida como utilidade pública nos âmbitos federal, estadual e municipal.


De acordo com informações do Wikipedia, a Fundação Carlos Chagas já realizou mais de 2.300 concursos em nome de mais de 271 instituições públicas e privadas, para um total de mais de 20 milhões de candidatos.


“Se você está buscando um concurso, por exemplo, na área de tribunais, é muito provável que você encontre esta banca no seu caminho”, afirma Rodrigo Bezerra, professor de língua portuguesa e gerente do CERS, cursos on-line, que ressaltou ainda a importância de conhecer o perfil da organizadora para se sair bem nas provas. E, traçando o perfil da Fundação Carlos Chagas, Bezerra explicou que se trata de uma banca extremamente conservadora, com um estilo de questionamento bem fechado.

“A prova da FCC tem um nivelamento por nível de escolaridade ou cargo, ou seja, geralmente a banca costuma ter provas bem mais densas quando se trata de concursos para a área fiscal, por exemplo, mas tem também uma prova razoável para concursos de nível superior para tribunais, além de provas bem simples para nível médio. Então, é uma banca que escalona bem a dificuldade das provas de acordo com o cargo”, explica o professor.

Segundo Bezerra, a Fundação Carlos Chagas costuma, na área jurídica, mais especificamente nas disciplinas do direito, cobrar exclusivamente a letra da lei, o que gera bastante reclamação por parte dos candidatos.

Na disciplina de língua portuguesa, é uma banca bem conservadora. As provas vêm com interpretação de texto e as questões de gramática em geral são descontextualizadas – eles pegam o mote que está no texto, mas as perguntas geralmente são mais secas. Por exemplo: “assinale a alternativa em que a concordância está de acordo com a prescrição gramatical”.

Por fim, o professor afirma que a FCC é uma banca que “dificilmente admite seus erros”: “Já peguei casos de questões onde o gabarito está flagrantemente errado, que apresenta uma resposta que não tem a menor lógica. São enviados recursos e mais recursos e, ainda assim, a banca resolve muitas vezes não anular a questão”, completa.


Fonte: Jornal dos Concursos

2 comentários:

  1. Olá! Gostaria de saber se há alguma previsão pro trt 23.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Gostaria de saber se há alguma previsão pro trt 23.

    ResponderExcluir