segunda-feira, 15 de junho de 2015

TRT do Ceará tem atá agosto para formalizar novo concurso


O concurso para a área de apoio do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT-CE) entra em fase decisiva. Segundo informações da Secretaria de Gestão de Pessoas, o órgão tem até agosto para apresentar a exposição de motivos, ou seja, a formalização da intenção e as razões de se realizar a seleção. O Sindicato dos Servidores da 7ª Região da Justiça do Trabalho (Sindissétima), que representa os servidores do tribunal, informou recentemente que acredita que o edital seja divulgado até outubro próximo.



Em paralelo a isso, na última semana, o Sindissétima convocou uma paralisação de duas horas dos funcionários. O principal objetivo do movimento foi pressionar pela reposição salarial dos servidores do Judiciário Federal. Entretanto, a outra reivindicação é a realização de concurso. Recentemente, a presidente do Sindissétima, Maria Bernadette Nogueira Rabelo, se reuniu com o senador José Pimentel (PT-CE) para tratar dos projetos de lei que abrem 87 novas vagas no órgão. A aprovação dos textos impulsionará a realização da seleção. O órgão, entretanto, trabalha com a possibilidade de realizar o concurso mesmo sem a criação de novas vagas.

As chances para a área de Tecnologia da Informação deverão ser o grande atrativo da seleção. As PLs 961/2015 e 8.332/2015 solicitam a criação de 41 novas oportunidades para a especialidade, sendo 27 para analista judiciário, que exige graduação, e 14 para técnico. Além dessas, são requisitadas 31 novas vagas para analista judiciário e 15 para técnico judiciário em outras especialidades. Os textos tramitam na Câmara dos Deputados, em Brasília, e posteriormente serão apreciados pelo Senado Federal. As remunerações iniciais são de R$6.135,79 para técnico e, de R$9.573,84, para analista, já incluído os R$710 de auxílio-alimentação em ambos. A carga de trabalho é de 40 horas semanais. O regime de contratação é o estatutário, que garante a estabilidade.

O último concurso foi realizado em 2009, com organização da Fundação Carlos Chagas (FCC). Na época, foram oferecidas 94 vagas para analista e 85 para técnico.

Fonte: Folha Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário