quinta-feira, 23 de abril de 2015

Tribunal trabalha para definir especialidades


O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), da 3ª Região, está concentrando esforços, junto com a Fundação Carlos Chagas (FCC), organizadora, no sentido de fechar o mais breve possível todos os detalhes do concurso para técnico (nível médio e médio/técnico) e analista (superior) judiciários. A expectativa é de que, nos próximos dias, o TRT-MG possa anunciar as especialidades que serão contempladas das duas carreiras.


Segundo a Assessoria de Comunicação do tribunal, o edital será divulgado até junho. A expectativa é de que sejam oferecidas 640 vagas, uma vez que foram criados novos cargos para a 1ª instância da Justiça do Trabalho mineira, aprovado no início de fevereiro pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Ricardo Levandowski, após solicitação da conselheira-relatora, Gisela Gondin Ramos.

De acordo com a assessoria de comunicação do tribunal, muitas audiências foram realizadas para que a desembargadora do órgão, presidente Maria Laura Franco Lima de Faria, acompanhada do diretor-geral, Ricardo Marques, demonstrasse urgência na criação dos cargos. Ainda, segundo a assessoria, a mesma afirmou que o deferimento foi muito importante, pois visa a solucionar a expressiva carência de servidores nas varas do trabalho, o que contribuirá para atenuar a sobrecarga de serviços e suprir o déficit atual de oficiais de justiça.

Independentemente da oferta que será especificada em edital, é grande a carência de pessoal no TRT-MG, o que certamente fará com que o órgão convoque um grande número de aprovados durante o prazo de validade da seleção, que deverá ser de dois anos, prorrogável por igual período.

Os vencimentos atuais são de R$4.635,03, para técnico, e deR$7.566,42 a R$9.188,2,0 para analista, dependendo da especialidade. Os valores já incluem R$710 de auxílio-alimentação. O regime de contratação é o estatutário, que garante a estabilidade.

De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado de Minas Gerais (Sitraemg), Alan da Costa, o concurso é uma das reivindicações da categoria para amenizar a carência. "A função de técnico tem maior rotatividade, por isso poderá oferecer mais oportunidades", disse.

Última seleção - Também sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC), a última seleção para o tribunal ocorreu em 2009 e ofereceu oportunidades para técnico judiciário nas áreas Administrativa, Contabilidade e Tecnologia da Informação; e analista área judiciária em Execução de Mandados, Judiciária, Administrativa, Contabilidade, Arquitetura, Arquivologia, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Estatística, Fisioterapia, Medicina (várias especialidades), Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Tecnologia da Informação.

É muito provável que todas essas áreas ou grande parte delas sejam contempladas neste novo concurso. Na ocasião, as taxas foram de R$59 (técnico) e R$72 (analista). A seleção teve validade de dois anos, prorrogável por igual periodo, cujo prazo já foi expirado.

O exame objetivo foi composto por 60 questões, abordando as disciplinas de Língua Portuguesa, Conhecimentos Específicos, Noções de Direito, Conhecimentos Gerais e redação, de acordo com cada área; além de prova discursiva, que consistiu em uma redação. Para ser aprovado na prova objetiva, o candidato deveria possuir média total de pontos igual ou superior a 180 para o cargo de técnico e 240 para analista; além de conquistar nota igual ou superior a 50 pontos na redação.

Fonte: Folha Dirigida

5 comentários:

  1. Bom dia, meus amigos! Alguém poderia me explicar como foi dado aquela pontuação final para o cargo de técnico? Estou tentando entender quantos % da prova o primeiro colocado fez (217.87 pontos), e quantos % o último nomeado fez (201.15 pontos). Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Eu não entendo nd sobre esses critérios que a FCC coloca em suas provas. Confesso que tentei entender mas não deu msm...

    ResponderExcluir
  3. Pessoal, lembrem-se de que os últimos nomeados do TRT foi o pessoal que veio do TRF. Pode ser que essas notas sejam deles.

    ResponderExcluir
  4. Alguém sabe informar quais especialidades estão previstas?

    ResponderExcluir
  5. Bom dia! Alguém saberia me informar se existe previsão de vagas para o interior, tanto para analista quanto para técnico?

    ResponderExcluir