segunda-feira, 6 de abril de 2015

CLTNEWS | TRT de Minas Gerais: Edital em fase de elaboração


O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), da 3ª Região, e a empresa organizadora, a Fundação Carlos Chagas (FCC), trabalham na elaboração do edital do concurso para técnico e analista judiciários, que será divulgado até o final deste semestre, podendo sair antes do tempo previsto. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, a empresa escolhida tem prazo de até junho para publicar o documento. As funções exigirão os níveis médio, médio/técnico (técnico) e superior (analista). Portanto, quem deseja participar pode iniciar a preparação com base no programa da última seleção, o quanto antes. A expectativa é de que sejam oferecidos bom quantitativo, uma vez que foram criados 640 novos cargos para a 1ª instância da Justiça do Trabalho mineira, aprovado no início de fevereiro pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Ricardo Levandowski, após solicitação da conselheira-relatora, Gisela Gondin Ramos.


Segundo a assessoria de comunicação do tribunal, muitas audiências foram realizadas para que a desembargadora do órgão, presidente Maria Laura Franco Lima de Faria, acompanhada do diretor-geral, Ricardo Marques, demonstrasse urgência na criação dos cargos. Ainda, segundo a assessoria, a mesma afirmou que o deferimento foi muito importante, pois visa à solucionar a expressiva carência de servidores nas varas do trabalho, o que contribuirá para atenuar a sobrecarga de serviços e suprir o déficit atual de oficiais de justiça.

Os vencimentos atuais são de R$4.635,03 para técnico, de níveis médio e médio/técnico; e de R$7.566,42 a R$9.188,20 para analista, de nível superior, incluindo R$710 de auxílio-alimentação. O regime de contratação é o estatutário, que garante a estabilidade. A seleção terá validade de dois anos, prorrogável por igual período, uma única vez, permitindo a chamada de mais aprovados do banco de concursados.

De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado de Minas Gerais (Sitraemg), Alan da Costa, o concurso é uma das reivindicações da categoria e visa amenizar a carência, sendo que a função de técnico, com maior rotatividade, poderá oferecer maiores oportunidades.

Última seleção - Também sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC), a última seleção para o tribunal ocorreu em 2009 e ofereceu oportunidades para técnico judiciário nas áreas Administrativa, Contabilidade e Tecnologia da Informação; e analista área judiciária execução de mandados, Judiciária, Administrativa, Contabilidade, Arquitetura, Arquivologia, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Estatística, Fisioterapia, Medicina (várias especialidades), Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Tecnologia da Informação. O valor da taxa de inscrição para os cargos analista judiciário foi de R$72 e para os cargos de técnico foi de R$59.

As remunerações iniciais foram de R$4.052,96 para técnico, e de R$6.611,39 para analista, já incluindo vencimento, gratificação de atividade judiciária e vantagem pecuniária individual. A seleção teve validade de dois anos, prorrogável por igual período, cujo prazo já foi expirado.

O exame objetivo foi composto por 60 questões, abordando as disciplinas de Língua Portuguesa, Conhecimentos Específicos, Noções de Direito, Conhecimentos Gerais e redação, de acordo com cada área realizada no dia 15 de novembro; além de prova discursiva, que consistiu em uma redação. Para ser aprovado na prova objetiva, o candidato deveria possuir média total de pontos igual ou superior a 180 para o cargo de técnico, e 240 para analista; e possuir nota maior que 50 pontos na redação.


Fonte: Folha Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário