sexta-feira, 15 de agosto de 2014

TRT de Minas Gerais: Para participar é preciso ter os níveis médio e superior


A carreira judiciária, que atualmente é uma das mais procuradas pelos concurseiros, além de oferecer estabilidade, uma vez que o regime de contratação é o estatutário, possibilita a conquista de status e de remuneração atraente. Portanto, os interessados em desfrutar desses benefícios, já podem iniciar a preparação para o concurso de técnico e analista judicíários do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), da 3° Região. Para auxiliar os que pretendem concorrer, a FOLHA DIRIGIDA fornece a cada edição dicas e testes da disciplinas que serão cobradas na seleção.


Após a aprovação do certame pela presidente, a desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, a expectativa é de que em breve seja formada a comissão que ficará responsável pelas regras. Segundo a subsecretária do órgão, Isaura Emília Dias de Souza, no próximo mês serão divulgados o quantitativo de vagas, salários, e especialidades oferecidas na seleção.

Para se inscrever no cargo de técnico será preciso ter o nível médio na área escolhida e, para analista, o nível superior na especialidade. Embora o órgão não tenha informado os vencimentos, eles deverão ser de R$5.717,82 para técnico e, de R$8.888,06, para analista, incluindo R$710 de auxílio-alimentação, tomando como base o concurso do TRT do Rio de Janeiro.

Em 2009, no último concurso do tribunal, para os cargos de analista e técnico judiciários, aconteceu sob responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC). As remunerações variavam de R$ 4.052,96 a R$ 8.140,07, para carga horária de trabalho de 40 horas semanais. Foram oferecidas 4 vagas efetivas mais cadastro de reserva. Apesar das poucas vagas, muito dos aprovados foram chamados e nomeações vêm acontecendo de acordo com as necessidades.

Para analista, cujo cargo exigiu diploma de conclusão de curso de graduação de ensino superior em Direito, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), foram oferecidas oportunidades para as especialidades de Execução de Mandados, Jurídica, Administrativa, Contabilidade, Arquitetura, Arquivologia, Enfermagem, Engenharia, Estatística, Fisioterapia, Medicina, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Tecnologia da Informação; já para as funções de técnico, chances para as áreas Administrativa e de Tecnologia de Informação.

O regime de contratação é o estatutário, que garante a estabilidade. Além das instruções dos professores especialistas em concursos, os futuros candidatos podem basear-se pelas provas e programas anteriores.


Fonte: Folha Dirigida

4 comentários:

  1. a redação da manchete da notícia tá muito ruim, parece que o edital foi liberado... susto da zorra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, a redação da manchete está ruim desde quando? De duas uma: ou você passou apenas os olhos por alto no texto, ou você tem problemas com intelecção de texto.

      Excluir
    2. Duas bibinhas! Vai estudar sô!

      Excluir
  2. não briguem! não se preocupem! os piauienses ficarão com as primeiras colocações e a maioria das vagas! rsrs

    ResponderExcluir