quarta-feira, 6 de agosto de 2014

12 carreiras públicas cobiçadas pelos concurseiros


As oportunidades promovidas pelos concursos públicos são inúmeras. A estabilidade e os altos salários são os principais atrativos da carreira pública.

A cada semestre, diversos certames abrem inscrições para os mais variados cargos. Os mais cobiçados, com remunerações variando entre R$ 7 mil e R$ 24 mil mensais, costumam exigir graduação em Direito.  Mas há ainda os concursos que exigem nível superior em qualquer área de formação.

Veja a lista das carreiras:


1. Procurador do Trabalho

Salário inicial: R$ 24.057,33.

Requisitos: ser formado em direito e ter, no mínimo, três anos de prática forense.

Periodicidade: geralmente a cada dois anos

O que faz: exerce a função de Ministério Público do Trabalho, combatendo irregularidades trabalhistas.



2. Juiz federal

Salário inicial: R$ 23.997,19.

Requisitos: bacharelado em direito, e, no mínimo, três anos de atividade jurídica comprovada.

Periodicidade: A Justiça Federal atualmente está dividida em 5 regiões, cada região tem o seu próprio Tribunal Regional Federal que faz concursos na sua respectiva região. Nos últimos anos, têm ocorrido 2 ou até 3 concursos por ano e a tendência é que se mantenha assim.

O que faz: possui a atribuição de julgar as ações em que a União, suas autarquias e empresas públicas federais são, de alguma forma, interessadas. Bem como outros temas, tais como direito indígena, as causas referentes à nacionalidade e que envolvam Estados Estrangeiros e Organizações Internacionais.

O juiz federal também exerce competência criminal, em situações que abrangem crimes políticos, infrações penais contrárias a bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas, os crimes contra a organização do trabalho e, regra geral, os crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves.


3. Juiz estadual

Salário inicial: R$ 22.797,33

Requisitos: em regra é ser bacharel de direito, com três anos de atividade jurídica até a data da inscrição definitiva, exercida a partir da conclusão do curso superior.

Periodicidade: geralmente uma vez ao ano

O que faz: materializa a atividade jurisdicional do Estado, sendo na prática a pessoa física que dá efetividade a uma das três parcelas da tripartição estatal: o poder judiciário. Julga conflito de interesses entre pessoas, das mais variadas espécies. Demanda grande bagagem de vida, ou experiência de vida, para ter condições de julgar a vida de outras pessoas.


4. Defensor público estadual

Salário inicial: varia conforme o estado. No Rio de Janeiro, concurso mais recente ofereceu R$ 19.820 de salário.

Requisitos: ser bacharel em direito, aprovado no exame de ordem, além de comprovada prática forense.

Periodicidade do concurso: anual, levando-se em conta todos os estados.

O que faz: orientação jurídica, promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados.


5. Defensor público federal

Salário inicial: R$ 16.489,37.

Requisitos: O candidato deve ser bacharel em direito e comprovar dois anos de prática jurídica, mas vale o período de estágio ainda durante a faculdade.

Periodicidade: os concursos costumavam ter um espaço de 2 a 3 anos entre um e outro. No entanto, a recente Emenda Constitucional nº 80 determinou que no prazo de 8 anos, a União, os Estados e o Distrito Federal deverão contar com defensores públicos em todas as unidades jurisdicionais.Em 2012 foram criados mais de 780 cargos de defensor público federal. Assim, haverá muitos concursos nos próximos anos.

O que faz: orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita àqueles que não têm recursos suficientes para contratar advogado sem prejuízo do próprio sustento e da família.


6. Advogado da União

Salário inicial: R$ 16.489,37.

Requisitos: bacharelado em direito com inscrição na OAB. Exige-se dois anos de prática jurídica, mas vale o período de estágio ainda durante a faculdade.

Periodicidade: geralmente a cada dois anos

O que faz: o advogado representa a União, judicial e extrajudicialmente, cabendo exercer as atividades de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo Federal.


7. Procurador da Fazenda Nacional

Salário inicial: R$ 16.489,37.

Requisitos: formado em direito e ter, no mínimo, prática forense de dois anos.

Periodicidade: não há prazo definido, porém, normalmente vem ocorrendo a cada dois anos.

O que faz: exerce a defesa judicial da União Federal nas ações tributárias, bem como administra a Dívida Ativa da União Federal conforme art. 131, parágrafo 3º da Constituição Federal, cobrando o crédito tributário da União Federal, além da consultoria jurídica do Ministério da Fazenda.


8. Delegado da Polícia Civil

Salário inicial: mínimo de R$ 9.245,15. No RJ é de R$ 15.715,39.

Requisitos: ser bacharel em direito.

Periodicidade: pode-se dizer que anual.

O que faz: O delegado exerce primordial etapa do efetivo exercício de polícia judiciária. De acordo com o artigo 144 da Constituição, atua em segurança pública, preservação da ordem pública, apura infrações penais, que não militares, e assuntos ligados à incolumidade das pessoas, e do patrimônio das pessoas.


9. Auditor da Receita Federal

Salário inicial: 14.965,44 reais.

Requisitos: possuir nível superior em qualquer área.

Periodicidade: os concursos para auditor fiscal costumam ser lançados em média a cada 2 anos, com variações que dependem do número de aprovados de cada certame.

O que faz: cuida do lançamento de débitos tributários, além das atividades de fiscalização dos contribuintes, com acesso aos recursos inerentes à verificação da regularidade do recolhimento dos tributos e também das obrigações tributárias acessórias, segundo explica França.


10. Auditor Fiscal do Trabalho

Salário inicial: R$ 14.280,00.

Requisitos: graduação superior em qualquer área.

Periodicidade: Geralmente a cada três ou quatro anos.

O que faz: fiscaliza das relações de emprego, verificando se as empresas cumprem as normas trabalhistas, bem como as normas de segurança de trabalho, protegendo o trabalhador, relativamente aos seus direitos e protegendo a sua própria vida.


11. Analista do Tribunal Regional do Trabalho (TRT)

Salário inicial: R$ 7.566,42. Para oficial de Justiça, privativo de bacharéis em direito, o valor é de R$ 9.188,20.

Requisitos: nível superior na respectiva área de interesse. No caso da área administrativa pode ser ensino superior em qualquer área de formação.

Periodicidade: Existem 24 TRT’s e cada um realiza o seu próprio concurso. Dessa forma, é comum ter mais de um concurso por ano.

O que faz: realiza tarefas relacionadas à administração de recursos humanos, materiais, patrimoniais, orçamentários e financeiros, de desenvolvimento organizacional, licitações e contratos, contadoria e auditoria; emitir informações e pareceres; elabora, analisa e interpreta dados e demonstrativos; elabora, implementa, acompanha e avalia projetos pertinentes à área de atuação; atende ao público interno e externo; redige, digita e confere expedientes diversos e executa outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade


12. Analista do INSS

Salário inicial: 7.147,12 reais.

Requisitos: formação superior que depende da área de atuação.

Periodicidade: usualmente, é superior a 2 anos

O que faz: Há diversas áreas de atuação para os analistas. Há áreas específicas como estatística, ciências contábeis, direito, engenharias, jornalismo, arquitetura, letras, dentre outras.



Fonte: CERS/Exame – Manoela Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário