segunda-feira, 2 de junho de 2014

Área de Tribunais em pleno vapor


Não há de se falar em tempos ruins para concursos. Afinal, a máquina pública precisa funcionar. Todos os anos, as milhares de vagas que são abertas impulsionam milhões de candidatos à maratona dos concursos públicos. E, este ano, mesmo em época de eleições e de Copa do Mundo, não poderia ser diferente.


Uma das áreas mais movimentadas é a de tribunais. espalhados pelo Brasil, os tribunais – sejam regionais ou federais –arrecadaram, do início do ano até agora, milhares de inscrições. Para quem ainda não escolheu para qual deles se preparar, há opções disponíveis para todos os gostos.

Em alguns Estados, os Tribunais de Justiça oferecem diversos postos, como é o caso do TJ-PA com 200 vagas para salários entre R$ 2.538,87 e R$ 3.218,56, nos cargos de analista judiciário, oficial de justiça avaliador e auxiliar judiciário. Os interessados devem se inscrever até 6 de junho pelo site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br), organizadora do certame. As provas estão previstas para o dia 10 de agosto.

No Amazonas, o TJ-AM também está com inscrições abertas até 6 de junho para provimento de vagas para serventias de 26 cartórios extrajudiciais. O concurso também reserva vagas para candidatos com deficiência. As inscrições podem ser feitas até 4 de julho no site http://www.cartorio.tjam.ieses.org. A taxa para confirmar a participação é de R$ 200.

O Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região na Paraíba oferece 33 vagas nos cargos de analista judiciário e de técnico judiciário, com salários que chegam a R$ 8.178,06. As inscrições estão abertas até 6 de junho no site da organizadora Fundação Carlos Chagas (www.concursosfcc.com.br).

Com salários entre R$ 5.007,82 a R$8.178,06, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região publicou o edital para provimento de vagas para cadastro reserva, nos cargos de analista e técnico judiciário. As inscrições vão até 13 de junho, com taxas de R$78,00 a R$ 88,00, no site da organizadora (Fundação Carlos Chagas). As provas estão previstas para o dia 27 de julho.

Já para os que almejam a carreira da magistratura, as oportunidades são juiz federal substituto para o Tribunal Federal da 2ª Região (TRF-2), com jurisdição no Rio de Janeiro e Espírito Santo, com remuneração de R$ 23.997,19. As inscrições estão abertas até 10 de junho pelo site do próprio tribunal. A taxa é de R$ 190 e a prova está prevista para 3 de agosto.

Para se candidatar à magistratura, é necessário possuir diploma no nível superior em direito há no mínimo três anos, além de três anos de atividade jurídica, exercidos após a obtenção do grau de bacharel.

Ainda este ano, outros tribunais publicarão editais, como é o caso do Tribunal de Justiça de São Paulo, Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Tribunal Regional do Trabalho 1ª Região, que abrange o Rio de Janeiro, e Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais.

Enquanto isso, saia na frente na sua preparação e comece a treinar com questões de provas anteriores desses órgãos. Dessa forma, você se familiarizará com o estilo das bancas.

Bons estudos!


Fonte: Jornal dos Concursos/Cláudia Jones

4 comentários:

  1. O TRT-7 e o TRT-22 sairão ainda neste ano ??? Sobre o TRT-3, alguém sabe me informar se há vagas prevista para ENGENHARIA CIVIL ou termos que aguarda mesmo a publicação do edital???

    ResponderExcluir
  2. Mais uma pergunta, o edital do concurso do TRF-1 está previsto para sair quando???? Vejo que este concurso está demorando, uma vez que a banca já foi definida e desde fevereiro o site da folha dirigida anuncia que o edital está na fase final de elaboração.

    ResponderExcluir
  3. Parece óbvio dizer que a máquina pública precisa continuar a funcionar. Mas não é assim. E não será desse jeito sob o modelo de gestão do Aécio Neves ou talvez mesmo do Eduardo Campos e Marina. Vi muitos concurseiros comemorando a saída do Joaquim Barbosa do CNJ, mas não se esqueçam que se a Presidência da República tiver o estilo "privatização total", vide FHC, a lógica dos concursos e do investimento na máquina pública em busca de qualidade não fará o menor sentido. Quem está investindo no modelo de aprimoramento técnico do Estado é o governo federal atual (Dilma). Se mudarmos o governo, podemos cair naquela gestão movida a decisões políticas "secas" (nomeações extra-quadro de parentes e amigos ou terceirizações de interesses duvidosos). Desculpe o comentário quase off-topic, mas acredito que não podemos nos alienar diante de um momento de eleição, que nos leva a grandes decisões.

    ResponderExcluir