quinta-feira, 8 de maio de 2014

Como conciliar os estudos e a torcida pela seleção?

 

Fred, Neymar, Hulk, Bernard, Jô... São estes os atacantes que defenderão a seleção brasileira na Copa do Mundo que terá início daqui a pouco mais de 30 dias. A tão aguardada lista do técnico Felipe Scolari foi divulgada neste dia 7 de maio, e traz os nomes de alguns grandes craques - outros, nem tanto - que terão como missão firmar, mais uma vez, a posição do Brasil como campeão. A maior autoridade do planeta, quando o que está em jogo é o futebol. A ansiedade experimentada por milhões de torcedores, na manhã desta quarta, assemelha-se em certos aspectos à expectativa de milhares de brasileiros que, todos os anos, investem tempo, dedicação e dinheiro na preparação para a conquista da carreira pública. Tal como os verdadeiros atletas dos gramados, os concurseiros participam de torneios disputados, em busca de um lugar ao sol. Querem eles, também, figurar na lista final de convocados.


Não tem jeito. Por mais que não ligue para o futebol, todo brasileiro assume seu lado torcedor durante a competição mundial. Coisa de gene da raça, de talento nato e do poder de encantamento da camisa verde e amarela. Mesmo entre os candidatos de concursos públicos, por certo não haverá quem resista ao apelo de uma partida de futebol. Como, então, programar os estudos para este período, de tal forma que, além de Felipão, também o concurseiro saia campeão? De acordo com o professor de Direito Administrativo, Rodrigo Motta, sobretudo em períodos como esse, é preciso haver um equilíbrio entre estudos e entretenimento. "O candidato não pode simplesmente virar torcedor e deixar os estudos de lado. Por isso, manter espaços para ambas as atividades é tão importante. Não é necessário ignorar os jogos do mundial, mas também não se pode abandonar os estudos. Organização e concentração são essenciais". Especialistas apontam ainda outro fato importante: no momento reservado aos estudos, os livros, apostilas e exercícios devem ser a única preocupação, o foco central e absoluto destes candidatos, que precisam buscar não se dispersar em atividades ou assuntos paralelos - tais como o futebol.

Tal como num esquema tático, também nos estudos, planejamento é tudo. O concurseiro pode abrir uma janela de tempo, durante o dia, para ser um torcedor como qualquer outro. Mas não precisa, nem deve, por exemplo, perder valiosas horas com as confraternizações de 'concentração' antes dos jogos com os amigos, ou mesmo nas quase inevitáveis comemorações após as vitórias do Brasil. "Já se sabe que em diversas cidades brasileiras será decretado feriado nos dias de jogos da seleção. Aproveitar essas datas para colocar a matéria em dia e se organizar com o conteúdo a ser estudado, são algumas medidas que podem ajudar bastante o candidato durante a preparação. Enfim, é essencial que ele não perca o foco durante a Copa. O candidato não pode deixar que o simples entretenimento, ou um evento em particular, atrapalhe seu projeto de vida", pontua Rodrigo Motta.
 
A Copa do Mundo, como outras competições esportivas, inspira e motiva as pessoas a fazer o seu melhor, e para o candidato não pode ser diferente. A busca pela vaga no carreira pública é como uma Copa para o concurseiro, onde só os melhores saem como campeões. Diversos atletas passaram por dificuldades em suas vidas pessoais e carreiras, e até problemas de saúde até conseguirem uma vaga para disputar a Copa. Outros tiveram contusões, mas conseguiram dar a volta por cima e atingiram seus objetivos. O concurseiro deve usar esses exemplos de superação como inspiração, pois para ele, uma reprovação é como se fosse uma contusão para o atleta, que apesar de ser um duro golpe, tem que ser superada e usada como uma carga extra de motivação. Só assim, ele conseguirá alcançar seu objetivo de tornar-se um campeão.


Fonte: Folha Dirigida

Um comentário: