quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Provas no mesmo dia geram reclamações de candidatos


Os concursos do Ministério Público do Paraná (MP-PR), Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT Campinas), Supremo Tribunal Federal (STF), Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES), entre outros, estão com provas marcadas para o mesmo dia: 15 de dezembro. O fato tem gerado reclamações entre os candidatos, pois, muitas vezes, essas seleções costumam atrair muitos participantes de todo o país. O ideal seria um calendário geral de concursos entre os órgãos, para não haver este tipo de questão, segundo o presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Marcelo Portella.


"Essa desorganização comuna para a divergência nos cronogramas das avaliações. Temos provas ruins, centenas de bancas desconhecidas e mal preparadas para executar os processos, e o pior de tudo, quando não há uma organização interna, nem se imagina a curto prazo uma coordenação coletiva. O Ministério do Planejamento deveria fazer uma agenda anual de concursos públicos, a nível federal, pelo menos, o que já atenderia a uma gama de candidatos", opinou.

Portella falou ainda sobre a questão do curto prazo do concurso do MP-PR e de tantos outros. Segundo ele, qualquer tomada de desenho de concurso deve ser realizada com bastante antecedência e é necessário mais do que 40 ou 50 dias. "Os prazos curtos atrapalham o concursando, que sempre tem uma matéria específica para estudar na véspera de prova, mas essa falta de divulgação do cronograma com antecedência iguala os candidatos que estudaram aos que não estudaram para as provas. Isso acarreta prejuízo para o aluno, que não terá tempo de estudar, e também para a instituição. Porque quando se faz um concurso e o aluno que estuda fica em pé de igualdade com o que não estuda, isso forma funcionários mal preparados para executar suas funções. A qualidade da mão-de-obra acaba sendo menor. Então isso acaba indo contra não só as pessoas que estão se dedicando ao concurso público, que todos sabem que é um regime árido, como também contra a própria instituição que realiza a seleção, que por falta de organização acaba contratando servidores mal preparados", disse.

Marcelo Portella afirmou que é preciso avaliar também o porquê desta demora na divulgação do calendário do concurso. "A falta de organização e de método são queixas frequentes de quem presta concurso público. Não há planejamento das instituições, tendo em vista a vacância do órgão, número de aposentados, transferências, mortes, entre outros problemas. Isso não é monitorado sistematicamente, quando eles percebem, já há uma necessidade de vagas muito grande e é preciso correr contra o tempo. Aí o processo mal organizado acaba virando inimigo da qualidade e da boa prestação de serviço", declarou.

O presidente da Anpac enfatiza que o poder judiciário tem uma demanda muito grande de concursos, o Tribunal de Justiça, Tribunal Regional do Trabalho e Tribunal Regional Eleitoral, por exemplo, fazem seleções em todo país, e a organização é mínima. O caso do MP-PR é pior, pois há várias seleções importantes com provas marcadas para o mesmo dia, e não houve nenhum aviso prévio indicando o cronograma.

O candidato Everton Caetano diz que é realmente indignante, pois com o longo período durante o ano, as bancas acabam marcando diversas provas para o mesmo dia. "A gente fica o ano inteiro na expectativa esperando a abertura de um concurso na área de tribunal ou até mesmo em outra área, onde muitos se preparam, investem em cursos preparatórios e no final, temos que escolher qual concurso iremos fazer. Eu acho que as bancas deveriam se programar entre si e cada uma respeitar a programação da outra, uma semana a mais, uma semana a menos não irá alterar em nada para quem esperou o ano inteiro", disse.

O candidato falou sobre a vontade de fazer as duas provas dos TRTs de Campinas e do Espírito Santo, mas isso não será possível com a coincidência das datas: "O fato de acontecer várias provas no mesmo dia, a meu ver, é uma chance jogada fora, visto que estou me preparando desde o começo do ano. Então, quando abriu o concurso do TRT-ES, logo me inscrevi, pois tenho parentes lá e já até comprei as passagens. Eu estava ansioso esperando também o TRT-Campinas. Minha surpresa foi que a prova será no mesmo dia. Se a avaliação do TRT-Campinas fosse em outro dia, com certeza iria fazer, pois a matéria é basicamente a mesma."


Fonte: Folha Dirigida/Mariana Cavalheiro

Um comentário:

  1. Também acho um absurdo, e acho que os concurseiros deveriam continuar se mobilizando e enviando chuva de emails para os TRTs

    ResponderExcluir