terça-feira, 10 de setembro de 2013

A importância de analisar a prova do concurso






Concurseiro, você tem o hábito de analisar a prova que você acabou de prestar? Boa parte dos candidatos só procura saber se acertou ou errou (nem mesmo procura saber por que errou). A prova é uma excelente ferramenta de avaliação do seu próprio rendimento, ou seja, como você está em determinada matéria ou assunto e, principalmente, para criar novas estratégias.


Serve também para escapar das pegadinhas que todo mundo costuma cair (excesso de confiança ou falta de atenção). Nem é preciso falar que ao analisar qualquer prova o candidato estará estudando da forma mais completa que se conhece. Para isso, basta separar as questões por matéria, observar o quanto errou em cada uma delas, e reforçar o estudo em cima desses pontos.

Exemplo prático na matéria de português: Dentro da mesma prova, separe as questões de gramática, interpretação de texto, redação oficial… Faça da mesma forma com as outras disciplinas.

Com o tempo você aprenderá como são elaboradas as questões e isso será importantíssimo no momento de responder até aquelas alternativas que você nunca estudou.

 Veja alguns pontos que são importantes na análise de uma prova.

1. PALAVRAS QUE DENOTAM GENERALIZAÇÃO DO ASSUNTO

Atenção redobrada as palavras: EXCLUSIVAMENTE, EXCETO, ABSOLUTO, SALVO, VEDADO, SEMPRE, NUNCA, NENHUM, SOMENTE, APENAS,INDEPENDENTE/INDEPENDENTEMENTE, PRESCINDE/IMPRESCINDE etc.

Essas palavras são inseridas no enunciado da questão ou nas alternativas, e confundem porque afirmam não existir exceções.

Separei algumas questões da prova para Téc. Adm. MPU, que mostra como isso é comum.

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) O navegador Internet Explorer não pode ser executado no sistema operacional Linux, visto ter sido criado EXCLUSIVAMENTE para ser executado no ambiente Windows.

A questão poderia estar certa, mas o autor ao inserir o “EXCLUSIVAMENTE”, já deu uma boa pista que estaria errada.

Outras questões:

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) Uma das garantias estabelecidas pela CF aos membros do MP é a inamovibilidade ABSOLUTA.

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) Compete EXCLUSIVAMENTE à União preservar as florestas, a fauna e a flora.

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) É VEDADA a realização de novo concurso público para o mesmo cargo ou emprego público durante o período de validade de concurso anteriormente realizado.

Mesmo aquele candidato que NUNCA viu isso na vida, já marcaria essas questões como erradas.

2. DATAS – PRAZOS – QUANTIDADES

Outra coisa bastante exigida nos concursos é o conhecimento sobre datas, quantidades, prazos etc. Isso “despenca”, principalmente, nas questões da lei 8.112 e 8.666. Sugiro que você monte um material com todos esses números, e faça leituras periódicas desse material. Assim evitará errar uma questão fácil como esta:

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) Concurso é a modalidade de licitação para escolha de trabalho técnico, científico ou artístico, mediante a instituição de prêmios ou remuneração aos vencedores, conforme critérios constantes de edital publicado na imprensa oficial com antecedência mínima de quarenta dias.

Exemplo prático:

Lei 8.666, Art. 22:

- TOMADA DE PREÇOS = ATÉ O 3º DIA ANTERIOR À DATA DO RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS

- CONVITE = NÚMERO MÍNIMO DE 3 INTERESSADOS – COM ANTECEDÊNCIA DE ATÉ 24 HORAS DA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS

- CONCURSO = ANTECEDÊNCIA MÍNIMA DE 45 DIAS

- LEILÃO = QUEM OFERECER O MAIOR LANCE – IGUAL OU SUPERIOR AO VALOR DA AVALIAÇÃO

Outra muito “batida”, mas que tira muita gente boa da jogada, simplesmente por falta de memorização desses prazos.

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) A posse do servidor público nomeado, que pode ocorrer mediante procuração específica, deve acontecer no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento, sendo, ainda, conferidos ao servidor mais trinta dias para entrara em exercício no cargo.

Da mesma forma do exemplo da lei 8.666, crie um material com esses prazos.

Lei 8.112, Art. 13:

POSSE = PRAZO DE 30 DIAS CONTADOS DA PUBLICAÇÃO DO ATO DE PROVIMENTO

EXERCÍCIO = É DE 15 DIAS O PRAZO PARA O SERVIDOR EMPOSSADO EM CARGO PÚBLICO ENTRAR EM EXERCÍCIO, CONTADOS DA DATA DA POSSE

Fácil e prático, não é mesmo?

3. LEITURA DO ENUNCIADO

Outra questão que pegou muita gente, não pela falta de conhecimento da quantidade dos dias, mas pela falta de atenção a leitura da alternativa. Sendo esse um dos principais motivos que reprova o candidato.

(QUESTÃO – CESPE – MPU / 2013) Aplica-se a penalidade disciplinar de demissão a servidor público por abandono de cargo, caracterizado pela ausência intencional do servidor ao serviço por mais de tinta dias consecutivo ou por sessenta dias não consecutivos, em um período de um ano.

Guarde isso para nunca mais errar:

ABANDONO DE CARGO = AUSÊNCIA INTENCIONAL DO SERVIDOR AO SERVIÇO POR + 30 DIAS – CONSECUTIVOS.

INASSIDUIDADE HABITUAL = FALTA AO SERVIÇO, SEM CAUSA JUSTIFICADA, POR 60 DIAS, INTERPOLADAMENTE, DURANTE O PERÍODO DE 12 MESES.

RESUMO DA ÓPERA - Espero ter ajudado de alguma forma a despertar em você o interesse em analisar/estudar a sua prova (item por item), e não ficar somente em busca do gabarito.

“Não é suficiente apenas estudar, muitos fazem isso. A grande questão é como você vai fixar o assunto estudado.” (Fontenele)

 FONTENELE é um concurseiro que analisa sua prova, item por item.

IMPORTANTE – Os textos publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores em termos de opiniões expressadas. Além disso, como não contamos com um(a) revisor(a) de textos, também a correção gramatical e ortográfica é de inteira responsabilidade dos mesmos.

Fonte: Blog do Concurseiro Solitário

Nenhum comentário:

Postar um comentário