terça-feira, 9 de julho de 2013

CLTNEWS | TRT/SP esclarece critérios para próximo concurso






Um dos concursos mais aguardados do segundo semestre em São Paulo certamente é o que proverá vagas nos cargos de analista judiciário (nível superior) e técnico judiciário (nível médio) nos quadros do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT 2). Anunciado no início de 2013, e formalmente autorizado no fim do primeiro trimestre do ano, o concurso é prometido para os próximos meses, ainda que haja resistência por parte da assessoria do tribunal em estipular uma previsão mais concreta. Atualmente, vive-se a fase de levantamento interno das necessidades do órgão para os dois cargos que constarão do próximo edital. Em abril, esse número girava em torno de 180. Agora, esse número já é de 256. Esse montante, porém, não deve repercutir no número de ofertas que serão disponibilizadas para efetivação imediata.


Segundo a assessoria de imprensa do órgão, esse levantamento tem como objetivo mapear as necessidades do tribunal e guiar as áreas prioritárias (execução de mandados, judiciária, administrativas, etc), mas o que influencia o número de vagas efetivas é mesmo a capacidade orçamentária do órgão no momento da abertura do concurso público. Nesse sentido, esse número de vagas mais avantajado pouco tem a dizer sobre o que, de fato, constará do edital em matéria de oportunidades. Soma-se a essa informação, o fato do TRT 2 se alimentar com assiduidade do cadastro reserva, sempre presente em seus concursos, nomeando servidores em mais de 1.000% do número de vagas disponibilizadas em edital. De acordo com a assessoria, essa política de nomeações constantes durante a validade do concurso é um ajuste que se faz às demandas orçamentárias. Por isso, o próximo edital não deve ofertar mais que algumas dezenas de vagas, ainda que a necessidade de momento clame por muito mais.

Ajustando metas

O TRT 2 informa, ainda, que não há como falar em prazos sem ter a definição de que empresa será responsável pela organização da seleção. Vencida essa etapa, argumenta o setor de recursos humanos do órgão, será possível estabelecer um cronograma mais factível.

Ofertas

Para a posição de técnico judiciário, que de acordo com a modalidade pode ter outras exigências além do ensino médio, haverá ofertas nas modalidades administrativa, digitação, enfermagem, operação de computadores, tecnologia da informação, artes gráficas, carpintaria, marcenaria, estrutura de obras de metalurgia, telecomunicações e eletricidade, mecânica, copa, telefonia, transporte e segurança.

A remuneração para esse grupo consiste em R$ 4.703,08.

As oportunidades para analista judiciário, função que demanda formação superior, se dividem nas seguintes modalidades: administrativa (qualquer curso superior), judiciária (direito), execução de mandados (direito), contabilidade, tecnologia da informação, biblioteconomia, clínica geral, medicina do trabalho, cardiologia, psicologia, psiquiatria, estatística e arquivologia.

Os vencimentos para esse grupo são da ordem de R$ 7.261,52.

Para os dois grupos são oferecidos benefícios diversos como vale-alimentação e bonificações quinquenais.

Fonte: Jornal dos Concursos

Um comentário:

  1. Alguém pode me explicar porque os salários de analista dos TRT's são diferentes em cada estado se quem custeia os TRT's é a União? Se um analista do TRT é um servidor público FEDERAL? A remuneração não deveria ser unificada não?

    O edital do TRTGO diz salário de 7.566,00. O edital do TRT8(PA e AP) diz salário de 8.200,00. E o TRTSP diz salário de 7.200,00... não consigo entender!!!

    ResponderExcluir