terça-feira, 9 de abril de 2013

Doadores de sangue e de médula podem ter benefícios em concursos públicos



Um projeto que foi apresentado nesta semana pelo deputado Pedro Satélite (PSD/MT) promete gerar polêmica. A proposição nº 92/2013 pretende tornar como critério de desempate a doação de sangue e de medula óssea nos concursos públicos do estado, assim quem fosse doador teria certa vantagem se a nota nas provas fosse igual a de outro candidato não doador.


Mas, segundo a proposta, as doações devem ser feitas antes do lançamento dos editais de abertura, e o concorrente só pode obter o benefício após a terceira doação de sangue e de se cadastrar no banco de dados do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

O objetivo do projeto - que agora segue para análise das comissões com previsão de ser colocado em pauta e votado ainda no primeiro semestre deste ano -, é incentivar a doação, porém nem todos podem fazê-lo.

Dentre os requisitos básicos para poder ser considerado apto à doação, pode-se destacar a idade entre 16 e 67 anos e peso de no mínimo 50kg. Quem apresenta resfriado ou gravidez não pode doar. Assim como pessoas que tenham feito tatuagem nos últimos 12 meses, e quem já teve malária, hepatite, e/ou doenças sexualmente transmissíveis. Sem falar que existe um número limite de doações anuais: quatro para homens e três para mulheres (intervalos de 60 e 90 dias respectivamente).  

Fonte: CorreioWeb/Lorena Pacheco

4 comentários:

  1. Acho um criterio totalmente subjetivo para desempate de um certame público, que presa pela impessoalidade. E quem não possuir os requisitos básicos para doação serão prejudicados?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Isso é totalmente sem sentido... o autor do projeto pode até estar com uma imensa boa vontade, mas a proposta chega a ser anti-ética... nem todo mundo pode doar sangue, além disso, corre o risco de um tanto de gente se inscrever no banco de doadores de medula(pois para se inscrever basta retirar um pouco de sangue, como se fosse fazer um exame normal)sem ter a menor intenção de realmente realizar a doação no futuro caso seja compatível com alguém. Banco de medula é coisa séria, quem se inscreve tem que realmente querer participar!

    ResponderExcluir
  4. segundo a proposta, as doações devem ser feitas antes do lançamento dos editais de abertura, e o concorrente só pode obter o benefício após a terceira doação de sangue e de se cadastrar no banco de dados do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

    ResponderExcluir