terça-feira, 16 de abril de 2013

Candidatos podem aproveitar estudo do TRF para o TRT






Quem pretende participar do concurso que será promovido pelo TRF-SP para os cargos de técnico e analista também pode aproveitar a preparação para o concurso do TRT da 2ª região. Com algumas disciplinas em comum, estes concursos permitem que o candidato aproveite o estudo, uma vez que os cargos são os mesmos e os conteúdos costumam ser semelhantes.



No caso de TRT, no concurso passado, realizado em 2008, para o cargo de técnico foram cobrados temas sobre Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Informática, além de Conhecimentos Específicos, com noções de Direito Constitucional, noções de Direito Administrativo, noções de Direito do Trabalho e noções de Direito Processual do Trabalho. Já o TRF, cujo último concurso aconteceu em 2007, abordou em sua prova de técnico temas sobre Língua Portuguesa, Matemática, Raciocínio Lógico e noções de Direito Administrativo, moções de Direito Constitucional e Direito Penal.

"Com quatro disciplinas em comum, o candidato já terá meio caminho andado na preparação. Existe um denominador comum grande. É preciso apenas fazer uma adaptação do edital", destaca Barney Bichara, professor de Direito Administrativo nas redes Praetorium e Marcato. Já o professor de Direito Constitucional da Rede LFG, André Barros, aconselha os candidatos a focarem uma área específica de concursos. "Algumas matérias caem em todos os concursos, como, por exemplo, Direitos Administrativo e Constitucional. O problema são as matérias específicas da área, como Direito do Trabalho, no caso do TRT", diz.

Ele ainda destaca o nível de exigência dos concursos de analista etécnico, além de a concorrência ser bastante alta. Barney Bichara recomenda que os candidatos iniciem os estudos com antecedência. "O tempo entre a publicação do edital e a aplicação da prova deve servir para fazer adaptações na preparação", diz. "Muita gente começa a estudar somente quando o edital é publicado, o que é errado. A publicação é só para ajustar os estudos. Essa é a principal diferença entre quem passa e quem não passa", ratifica.

Fonte: Folha Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário