quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

MPOG autoriza 100 vagas para Auditor Fiscal do Trabalho




O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) a realizar concurso público para o provimento de 100 vagas de auditor fiscal do trabalho. A demanda havia sido encaminhada ao MPOG em 2011 e na solicitação pelo novo concurso, o MTE requisitava autorização para a contratação de 629 profissionais.




O auditor fiscal do trabalho é responsável por verificar as diversas situações de emprego, como se os profissionais de uma determinada empresa têm carteira assinada, se têm condições de segurança, se há o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o pagamento de férias, salários atrasados, etc.

Para concorrer ao cargo, o candidato deve ter formação de nível superior em qualquer área do conhecimento. O salário inicial é de R$ 13.600, podendo alcançar até R$ 19.451 no topo da carreira.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) enviou ao ministro do Trabalho Carlos Brizola Neto, um documento com a solicitação do aumento do número de vagas para a função pleiteadas ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

O Sinait pressiona o MTE com um estudo que se vale de dados do MPOG e do próprio MTE em que aponta que 400 auditores podem se aposentar a qualquer momento; o que agravaria as circunstâncias em que se encontram os quadros da função no órgão. De acordo com o levantamento do Sinait, atualmente são 2.945 auditores na ativa. O número de cargos, no entanto, é de 3.643.

Pelas contas do Sinait, o pedido do MTE – para 629 oportunidades - já está superado pelo fato de, neste momento, estarem vagos 698 cargos. Com a iminente aposentadoria de 400 auditores, esse número seria elevado a 1.098. A posição do sindicato é que deveria ser este, no mínimo, o número de vagas a constar do próximo concurso.

Consultado pela reportagem do JC&E, o MTE preferiu não se posicionar em relação à solicitação do Sinait. À reportagem, a assessoria de comunicação do ministério informou que cabe ao MPOG se posicionar a respeito.

A autorização, que pode ser conferida no anexo ao lado, para as 100 vagas de auditor pode ser uma resposta do MPOG a essa iminente aposentadoria de servidores. Pode não ser a única.



Fonte: JCConcursos/Reinaldo Matheus Glioche/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário